Procon, Polícia Civil e Mercado Livre atuam ​no combate à venda de mercadorias ilícitas

Com sede em Osasco, plataforma de e-commerce retirará do ar anúncios de produtos como medicamentos abortivos e itens de origem ilegal