Sidebar Menu

Rogério Franco afirma que vai recorrer e permanece prefeito de Cotia

Prefeito garante que não foi notificado pela Justiça e diz que documento feito por vereador Eduardo Nascimento não tem validade
Rogério Franco e Almir Rodrigues (Reprodução/Facebook)

Em entrevista ao jornal Giro S/A, Rogério Franco (PSD), garantiu que continua exercendo suas funções como prefeito de Cotia. Na sexta-feira (11), uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) determinou a cassação dos cargos de Franco e do seu vice Almir Rodrigues (PSDB), devido ao processo que apura abuso de poder político nas eleições de 2016.

Reeleito na eleição deste ano, Franco contou que não foi notificado para se afastar do cargo. "Estou prefeito e sigo exercendo todas as minhas funções trabalhando pela nossa cidade", disse acrescentando que ainda cabe recurso. "Vamos ingressar com recurso. Estamos dentro do prazo e vamos aguardar a decisão que deve sair até terça-feira", revelou.

O prefeito também falou sobre a polêmica envolvendo o documento feito pelo vereador de oposição, Eduardo Nascimento (PSB), que proíbe a entrada de Franco e Almir na sede da Prefeitura. "Ele se intitulou presidente da Câmara, já que não existe um afastamento oficial do atual presidente que está em exercício. Então, se aproveitando de uma viagem do presidente que está retornando hoje para cidade, ele se intitulou presidente, baixou um ofício por gabinete, pois não é da secretaria da Câmara, tomando essa decisão. Mas, não é nada oficial, não tem validade. Isso é fake news", revelou.

Ao saber da decisão do TRE, o vereador Nascimento, que é vice-presidente da Câmara de Cotia, se declarou presidente da Câmara na sexta-feira (10). Ele fez isso após tomar conhecimento de que o vereador dr. Castor, atual presidente do Legislativo da cidade estava em viagem. Após se declarar presidente, Nascimento elaborou um ofício que foi entregue a Guarda Municipal de Cotia, no qual ele proíbe a entrada de Franco e Almir na sede da Prefeitura. No documento, o atual prefeito estaria proibido de entrar até para retirar pertences pessoais que só seriam entregues após a apresentação de uma lista detalhando os objetos. 

Investigação se arrasta há quatro anos

Desde que Rogério Franco e Almir Rodrigues assumiram a administração de Cotia, os políticos tiveram os cargos cassados três vezes. A primeira foi em 2017, quando a defesa conseguiu anular a sentença. Já a segunda foi em setembro do ano passado, em que a própria Justiça Eleitoral revogou a decisão por causa de erro de cartório. O terceiro pedido ocorreu às vésperas da eleição, no dia 13 de novembro.


Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection