"Poderemos ter um colapso de leitos", admite Rogério Lins

Chefe do Executivo fez o alerta ao anunciar a abertura de 30 leitos de combate à covid-19. Osasco não construiu hospital de campanha e montou apenas estruturas de retaguarda 
PS do Jardim Santo Antônio já foi usado para o combate à covid-19 (Divulgação/Secom Osasco)

O prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos) admitiu pela primeira vez que a cidade pode enfrentar um colapso de leitos de combate à covid-19. A informação foi publicada nas redes sociais do chefe do Executivo ao informar a abertura de  mais leitos para pacientes com o novo coronavírus. "Se as pessoas não entenderem que o momento e crítico, e não mudarem o comportamento, infelizmente poderemos ter um colapso de leitos como está acontecendo em várias cidades do Brasil", disse. 

Rogério Lins recordou que a administração municipal optou por não construir um Hospital de Campanha provisório, mas sim, estruturas de retaguarda. "É importante alertar, que agora já utilizamos quase toda a estrutura que construímos", explicou o prefeito que anunciou mais 30 leitos de combate à covid-19 no Pronto Socorro do Jardim Santo Antônio. 

Além dessa unidade, a cidade também possui leitos de combate ao coronavírus no PS do Jardim D'Abril, no PS Osmar Mesquita, Hospital Antônio Giglio e na Policlínica da Zona Norte, que ficou conhecido como o Hospital de Campanha da cidade.  

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 28 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/