Sidebar Menu

VÍDEO: “O vereador é oportunista quando diz que criou a microchipagem”, diz secretário


Relação do vereador Ralfi com o governo e o Podemos perdeu o norte em 2018.

O desentendimento, no último sábado (18), entre o secretário de Meio Ambiente de Osasco, Marcelo Silva, com o vereador Ralfi Silva (Pode) é o assunto da semana e teve repercussão acalorada na Audiência Pública na noite de ontem (21) e mais "abafada" na sessão da Câmara Municipal na tarde desta terça-feira (22).

Tudo começou durante a campanha de microchipagem de cães e gatos, promovida pela Prefeitura no sábado. "Era um evento do governo, que obteve recursos por meios das secretarias de Saúde e Meio Ambiente para inserir os chips nos animais para que seus donos possam ser localizados, mas aí o vereador apareceu dizendo-se autor da iniciativa, o que é uma inverdade, afinal os recursos foram obtidos diretamente pela administração", disse o secretário de Meio Ambiente, nesta terça-feira, em entrevista ao Giro S/A.

Questionado sobre a afirmação do vereador de que teria sido expulso, o secretário negou e disse que convidou o parlamentar a se "retirar do local porque ele estava causando um mal estar entre as pessoas presentes e ainda divulgando algo que não era verdade". "Foi isso que aconteceu, mas ele diz que foi expulso por mim e o Tiago (secretário de Comunicação), não é verdade", completa. "Ele nunca apresentou qualquer emenda para uma cadela no cio. E agora quer sair como o salvador da pátria? É muita dissimulação", alfineta Marcelo Silva.

Mantendo sua versão, o vereador Ralfi protocolou no sistema eletrônico da Câmara uma Moção de Repúdio nesta terça-feira e entregou uma cópia à reportagem. Em um vídeo obtido com exclusividade pela reportagem, o vereador é escoltado até o veículo pelos dois secretários.

A relação entre o vereador Ralfi e o Executivo e o partido Podemos começou a "azedar" na eleição de 2018, quando o parlamentar não recebeu apoio na disputa para a eleição de deputado estadual. Além disso, o vereador também não foi contemplado com recursos do Fundo Partidário.

A situação piorou após Ralfi ter votado contra os projetos de reestruturação de secretarias, apresentado pelo prefeito Rogério Lins (Pode). Na época, o parlamentar recebeu uma carta com um "puxão de orelhas" da Executiva Municipal da legenda.

Após ser notificado, o parlamentar procurou a Executiva Estadual e se declarou ser vítima de perseguição política. Ao Giro S/A, o vereador disse que só vai se manifestar após adotar medidas legais. Ele afirmou que deve convocar uma coletiva, na próxima semana, para comunicar as novidades sobre o caso.

Veja mais notícias sobre VídeosPolítica.

Veja também: