Sidebar Menu

Covid-19: mais de 500 mil eleitores de Osasco não votarão nas eleições por biometria

Os mesmo ocorre em outras cidades da região. Confira
A Justiça Eleitoral iniciou o cadastramento biométrico em 2008, e já colheu as impressões digitais de 119.717.190 eleitores, que estariam aptos a votar pelo novo sistema. O TSE planeja cadastrar todos o eleitorado de mais de 150,5 milhões de pessoas até 2022. (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Mais de 1,6 milhão de eleitores das sete cidades da região não votarão por biometria nas eleições deste ano para eleger prefeitos e vereadores porque o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, suspendeu o uso da tecnologia para evitar o aumento do contágio por covid-19.

De acordo com dados do TSE em junho de 2020, em Osasco são 567.761 eleitores distribuídos em seis zonas eleitorais. O município de Barueri conta 261.427 eleitores, Carapicuíba, 291.138, Cotia 174.357, Itapevi, 153.444, Jandira 79.853 e Santana de Parnaíba, 92.251.

O leitor de impressões digitais não pode ser higienizado com frequência e este tipo de identificação implica em filas maiores, o que favorece aglomerações.

A exclusão da biometria será incluída em resoluções para as eleições deste ano que devem ser apreciadas pelo plenário do TSE a partir de agosto, após a volta do recesso judiciário.

A decisão foi tomada após uma primeira reunião de técnicos do tribunal com os médicos David Uip, do Hospital Sírio Libanês, Marília Santini, da Fundação Fiocruz, e Luís Fernando Aranha Camargo, do Hospital Albert Einstein.

As três instituições firmaram parceria com o TSE para a elaboração de um protocolo de segurança que reduza o risco de contágio durante a votação. Segundo o tribunal, a consultoria sanitária é prestada sem custos.


Veja mais notícias sobre PolíticaEleições 2020.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection