Itapevi: prefeito Igor Soares veta projeto que classifica academias como serviço essencial

Essa é a terceira cidade da região que busca formas de incluir as academias na categoria de serviços essenciais; Cotia e Barueri também apresentaram projetos que acabaram vetados
Projeto acabou vetado pelo prefeito de Itapevi (Divulgação/Freepik)

O prefeito de Itapevi, Igor Soares (Podemos), vetou o projeto de lei nº 36/2021 que previa a inclusão dos estabelecimentos voltados à prática de atividade física na lista de serviços considerados essenciais e que podem permanecer abertos, mesmo nas fases mais restritivas do combate à covid-19. O veto do chefe do Executivo já foi apreciado pelos vereadores que acataram a decisão do prefeito.

Para vetar a proposta, apresentada pelos vereadores Maurício Alonso Murakami e Rafael Alan de Moraes Romeiro, o prefeito Igor Soares citou decisões judiciais, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que foram contra a inclusão das academias na lista de serviços essenciais.

Na região outras duas cidades, Cotia e Barueri, também apresentaram propostas semelhantes. Em Cotia, os vereadores Edson Silva, Celso Itiki e Felipe Variedade solicitaram a inclusão das atividades físicas na lista de atividades essenciais. A proposta chegou a ser aprovada, mas terminou vetada pelo prefeito Rogério Franco (PSD).

Já em Barueri, o vereador Toninho Furlan (PDT) apresentou o mesmo projeto que foi aprovado, mas acabou impedido de entrar em vigor devido a uma ação no Tribunal de Justiça. Pelo entendimento do TJ, os municípios não podem se afastar das diretrizes estabelecidas pela União e pelo Estado. 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 28 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/