Sidebar Menu

“Esse pessoal faz política para si e não para a cidade”, diz Elvis sobre oposição

Prefeito falou sobre política e de como será a escolha de um sucessor para eleição de 2020.

Dando sequência à série de entrevistas com os prefeitos da região, o jornal Giro S/A publica o bate-papo com o prefeito de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar (PSDB), que fala sobre os três anos de governo e as metas para o último ano de gestão. Elvis que está no segundo mandato falou de política, mas não divulgou o nome de seu sucessor.

Quais as principais conquistas desses três anos de mandato?
São inúmeras conquistas na nossa gestão, mas a maternidade foi a maior. Fora os parnaibanos que nasceram em suas próprias casas, hoje são quase 300 partos. Na educação, nós trabalhamos no ensino infantil de excelência, zeramos a fila de creche. Nós melhoramos as estradas, tivemos a criação da Via Parque, a criação do corredor Colinas da Anhanguera até o Alphaville, todo o trecho da estrada Tenente Marques será duplicada.

Quais são as metas para o último ano?
Queremos melhorar os indicadores fiscais. Ousamos em congelar mais uma vez o IPTU, ou seja, em 7 anos houve 6 congelamentos. Em fevereiro, entregaremos o novo Paço Municipal que será totalmente informatizado. Vamos fazer ponte, túnel no Alphaville, com orçamento municipal. Seremos a primeira cidade do eixo metropolitano a ter 100% de LED. Até final de 2020, um total de oito parques.

O senhor lançou o Plano de Metas para 2020/2021. Quais são as obras de destaque?
Temos quase 70 ações.No transporte público vamos fazer mais duas rodoviárias em Alphaville e Fazendinha e subterminais. Já determinamos a implantação do Passe Único.Na saúde vamos construir 15 unidades de saúde, um Centro de Especialidade Odontológica e um Centro de Fisioterapia. Também vamos fazer a farmácia aberta até às 22 horas e ampliar a nossa rede de exames. Outra meta é um novo prédio para o Hospital Santa Ana que deve começar no ano que vem.

O senhor buscava a construção de um hospital regional. No entanto, a unidade será instalada em Barueri. Ficou alguma mágoa com o prefeito Rubens Furlan?
Eu até queria o hospital aqui, mas depois de ter acesso aos quantitativos financeiros mudei de opinião. Então, reavaliei e vamos contratar leitos particulares. Esse processo é mais vantajoso e resolvemos a demanda excessiva. Não há ressentimento com o prefeito Furlan e acredito que a escolha do Estado foi sábia. Então, por que vamos brigar por algo que já é nosso?

O senhor não é candidato à reeleição. Como será feita a escolha do seu sucessor?
Temos vários candidatos. Temos nomes na Câmara, secretários que desejam ser candidatos e temos nomes de fora. Hoje, acredito que temos oito candidatos no grupo. Em junho, próximo da convenção, teremos um bom nome para apresentar.

Como o senhor vê os ataques da oposição, principalmente do filho do ex-prefeito Peccioli?
A respeito desse moço, nós estamos agindo da seguinte forma: processo. Só se combate a fake news desta forma. As pessoas não podem inventar e cometer crimes. Fui vereador de oposição, falava a verdade e o que o povo sentia. É uma pena que uma pessoa já comece sem tanta habilidade. A cidade precisa de oposição, ela precisa ter alternativa. A cidade precisa ter pessoas que façam oposição em favor da cidade e não em favor de si mesmo. Esse pessoal faz política pra si mesmo. Política não é para fazer para nós e sim fazer para os outros.

O senhor é um dos líderes do PSDB na região. Qual é o seu futuro político: Congresso ou Palácio dos Bandeirantes?
Quero terminar bem o meu mandato para escolher. Mas não tenho muito interesse de ir para o Congresso Nacional. No Palácio dos Bandeirantes acho que pode ser em uma assessoria ou secretaria, pois lá existem várias situações. Preciso terminar bem a gestão para que possa ter um nome bom para disputar cargos que eu possa contribuir. Se eu estudar mais e me qualificar, quem sabe um dia.

Veja mais notícias sobre VídeosPolítica.

Veja também: