Sidebar Menu

Doria recua e prefeitos da região devem conquistar flexibilização da quarentena

Governador anunciou que Grande SP será divida em cinco regiões
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou hoje (29) que a região metropolitana de São Paulo será dividida em cinco regiões que terão datas e dados próprios de flexibilização da quarentena e da reabertura das atividades econômicas durante a pandemia do novo coronavírus.  "Considerando a complexidade, o seu tamanho e a disposição de prefeitos e prefeitas da região metropolitana, agora teremos cinco regiões de saúde. Com essa divisão, será possível ter uma análise mais precisa de critérios técnicos de saúde, classificação de fases de retomada consciente da economia e a definição apropriada para a região metropolitana", disse Doria.

Com isso, Osasco, Barueri, Jandira, Itapevi, Carapicuíba, Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus formam a sub-região Oeste. Já Cotia e Vargem Grande Paulista foram agrupadas na chamada Rota dos Mananciais. E a cidade de Cajamar no agrupamento do  Alto Juqueri. Araçariguama que também compõe o Cioeste ficou agrupada com as cidades do interior. 

Nessa semana, os prefeitos da região tiveram duas reuniões com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, onde pediram a reclassificação da região na faixa laranja, para assim, ter direito a inclusão das cidades na fase 2 da quarentena inteligente. Entre as sugestões apresentadas pelos prefeitos estava a divisão seguindo as Divisões Regionais de Saúde. O pedido foi atendido. 

Durante a coletiva,  Vinholi afirma que a divisão em cinco regiões não muda os índices da Grande São Paulo para o dia 1º de junho, quando começa a retomada no estado. "Para o dia 1º não muda nada. Estão mantidos os índices anunciados na quarta. O desafio deles é melhorar a capacidade hospitalar. Se alcançarem, serão considerados no sistema. Isso vai possibilitar que cada região aumente a quantidade de leitos para quando tiver a retomada consciente", disse

Com isso, os prefeitos deverão apresentar fundamentação científica para aberturas maiores. A prerrogativa do relaxamento, no entanto, cabe ao governo do estado. 

Como funciona a nova quarentena

Apesar de a Grande São Paulo agora ser dividida em cinco regiões, todas elas seguirão o mesmo protocolo de fases anunciado durante a semana pelo governador João Doria para a retomada das atividades econômicas.

Cada fase autoriza o funcionamento de determinadas atividades. A forma como o setor econômico poderá abrir varia — normal ou com restrições. Setores que empregam mais, com maior risco de falência e que criam menos risco de transmissão da Covid-19 foram priorizados.

Continua vetada a reabertura de espaços públicos, bares, restaurantes, salão de beleza, academia, teatro, cinema e eventos que geram aglomerações (incluindo os esportivos). Segundo o governo, as fases de reabertura serão reavaliadas a cada 14 dias, com isso, a cidade pode avançar para fases com mais liberações ou recuar para mais restrições, tudo vai depender dos índices de contaminação e ocupação dos leitos.

Os parâmetros de saúde serão revisados todas as semanas e os indicadores vão determinar se haverá progressão ou regressão de cada região


Conheça as cinco regiões:

- Alto Tietê (Arujá, Biritiba-Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Logo das Cruzes, Por, Salesópolis, Santa Isabel, Suzano)

- ABC (Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul)

- Alto Juqueri (Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha, Mairiporã)

- Sudoeste (Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista)

- Oeste (Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba)

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection