COTA. Região tem alta em candidaturas negras e tímido crescimento de mulheres nas eleições

Mesmo com cotas, candidaturas esbarram no financiamento
Foto divulgação/Elza Fiúza/Agência Brasil

As 11 cidades da região que compõem o Cioeste (Araçariguama, Barueri, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Vargem Grande Paulista) apresentaram aumento nas candidaturas de pessoas que se declaram negras e pardas e leve crescimento de mulheres que concorrem a uma vaga nessas eleições. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu 546 candidaturas de negros, uma alta de 46,4% se comparado com o pleito de 2016, quando foram marcados 371 pleiteantes ao Legislativo.

Mesmo obrigatório pela Lei Eleitoral, que determina que cada partido deve ter 30% das postulantes mulheres, as candidaturas femininas tiveram tímida alta de 11,3%, partindo de 1.179 para 1.312 candidatas. "Aumentar o número de nomes nas listas dos partidos é uma medida tímida, e não significa eleição dessas candidatas. A intervenção poderia se dar diretamente sobre as cadeiras", explica a pesquisadora Gabriela Rodrigues Rosa, do Grupo de Estudos de Gênero e Política da USP (Gepô) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), ao Jornal da USP. 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 30 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/