Sidebar Menu

Acesso para Osasco via Castello não tem data para sair do papel

Vice-governador falou de investimentos na saúde, CPTM e limpeza do Tietê

Sem previsão. Essa é foi a resposta dada pelo vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) sobre quando o governo do Estado deve iniciar as obras do novo acesso a Osasco via rodovia Castello Branco. A informação foi dada durante reunião com os prefeitos da região, na quarta-feira, 5, no Cioeste, que presidida pelo presidente do consórcio, o prefeito Elvis Cezar (PSDB/Santana de Parnaíba).

"Abrimos renegociação com todas as concessionárias, temos um horizonte de resolver os passivos regulatórios, um deles o eixo suspenso, com o fim da cobrança do eixo suspenso, que é pago R$ 600 milhões pelo governo para manter o fim da cobrança que está prevista em contrato. Então, se colocarmos uma estrada em licitação sem uma decisão da Justiça ou um acordo vamos ter complicações", diz acrescentando que o governo segue negociando com a CCR. "Estamos focados e vamos ter em breve uma resposta se sim ou não", completa.

Ainda na questão da mobilidade urbana, o vice-governador falou que o Estado busca uma alternativa para garantir fluidez aos usuários da rodovia Raposo Tavares. "Não vamos conseguir atender a via nessa etapa. Teremos que aguardar uma nova concessão, mas já sabemos que não terá como implantar outro modal, por exemplo, um trem, terá que ser solução terrestre mesmo", revela.

CPTM
O vice-governador ainda revelou que o Estado fará investimento na Linha 8 da CPTM (Linha Diamante – Itapevi/Júlio Prestes). "Convido os prefeitos a participarem de uma audiência pública no dia 26 de fevereiro, onde vamos apresentar os valores e detalhar os investimentos na linha. Posso adiantar que temos até novos trens para essa linha que envolve as cidades da região. Vai ser um completo para a região, já que investimento na Linha 9 que liga Osasco a Grajaú", afirma.

Hospital Regional
Garcia falou sobre a construção do Hospital Regional que será construído em Barueri, através de um convênio entre a administração municipal e o Estado. "Essa parceria com a prefeitura de Barueri foi fundamental. A administração está fazendo ajustes no projeto executivo para dar inicio a licitação. Acredito que a obra vai começar em breve", revela acrescentando que o Estado apresentará um novo modelo de investimento na saúde. "Vamos rever muitas coisas e mexer em equipamentos que não estão mais com a mesma demanda e repassar valores para onde a demanda é maior", enfatiza.

Sabesp e Tietê
Outro ponto tratado na reunião foi o serviço prestado pela Sabesp e a despoluição do rio Tietê. Na questão envolvendo a Sabesp, os prefeitos pediram para que o Estado cobre que a empresa feche os buracos abertos da maneira adequada. "Muitas vezes fazemos o recape da vai e poucos dias depois eles abrem um buraco, porém, não fecham da maneira e com material adequado", garante o prefeito de Osasco, Rogério Lins (Pode).

Entre outras as solicitações dos chefes dos executivos da região estão: despoluição Tietê e investimentos da Sabesp na região na questão da coleta e tratamento de esgoto e canalização dos córregos. Os prefeitos Igor Soares (Pode/Itapevi), Paulo Barufi (PSB/Jandira), Marcos Neves (PV/Carapicuíba ) e Gregório Maglio (MDB/Pirapora) também participaram da reunião.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection