​Crimes contra o patrimônio explodem em todas as cidades da região

Semestre fecha em alta também nos crimes contra a vida. Em Santana de Parnaíba, roubo de cargas teve aumento de 200%. Já os casos de estupro aumentaram de 291 para 324

O primeiro semestre deste ano fechou com alta nos crimes contra o patrimônio nas onze cidades da região Oeste da Grande São Paulo que compõem o Cioeste (Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana). Somados, as ocorrências do crime configurado como furtos/outros tiveram um salto de 5.912 para 7.050 casos, o que representa crescimento de 19,2% em comparação com o mesmo período do ano passado. Já os casos de estupro aumentaram de 291 a 324, com elevação de 11,3%. 

Ainda segundo levantamento baseado nas ocorrências, o número de homicídio doloso teve uma leve queda de 6,9%. Uma das cidades que puxou a elevação nos índices foi Santana de Parnaíba, onde o roubo de carga cresceu 200% na cidade. Já na região, o mesmo tipo de crime cresceu 17,4% (236 a 277). Quando os dados são referentes ao roubo de veículos, Jandira mostrou crescimento considerável de 283,3% (passando de 6 para 23 casos) impulsionando a região em 14,3% (677 para 774).

Já nos casos de latrocínio, o roubo seguido de morte, a região manteve os mesmos número. Foram cinco casos registrados no primeiro semestre de 2020 e 2021. Outro crime que também não sofreu alteração foi o roubo a bancos, já que não houve registro de casos.

"Não há como você avaliar um crime que menos da metade é notificada. É estatística inútil", explica o ex-secretário nacional de Segurança Pública, coronel da reserva da PM paulista, José Vicente.

Roubo de carga cresceu 200% em Santana de Parnaíba (Divulgação/Secom)

Veja mais notícias sobre Polícia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 19 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/