Quase 600 morrem em acidentes elétricos

Energia } 34% das casas são consideradas inseguras

Levantamento divulgado na quinta-feira (4) mostra que apenas em 2016 quase 600 pessoas morreram, vítimas de acidentes com eletricidade, sendo que um terço das ocorrências ocorreu nas próprias residências.


Os dados foram levantados pelo Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre). A pesquisa avaliou ainda, a partir de uma amostra de 999 domicílios, as condições das instalações elétricas residenciais. Segundo o estudo, apenas 29% das residências brasileiras têm projeto elétrico e 52% não têm fio terra.


"O cenário é bastante preocupante e mostra a necessidade de readequação das instalações elétricas, principalmente dos imóveis com idade média de 20 anos de construção", diz o diretor da Procobre, Antonio Maschietto.


Nas residências, o Brasil registrou 171 mortes ocasionadas por conta de um acidente elétrico. Por enquanto, a tomada de três polos, por exemplo, ainda não pegou na maioria das casas. Obrigatória a partir de 2011, ela está presente em somente 35% dos domicílios, de acordo com o levantamento.


O modelo leva em consideração a legislação de 2006 que exige que as construções tenham sistema de aterramento. As condições elétricas da própria residência foram consideradas inseguras por 34% dos moradores. Dentre esses, 19% disseram já ter levado ao menos um choque elétrico.

Shoppings sorteiam carros, viagens e iphones
Edição 387