Sidebar Menu

Ex-ministro de Lula faz delação e PF ressuscita Castelo de Areia

Investigação realizada pela Polícia Federal teve início em 2009.

A Polícia Federal realiza, nesta quinta-feira (7), uma operação conjunta com o Ministério Público Federal (MPF) para apurar crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. A ação batizada como Operação Appius, ocorre após delação do ex-ministro petista Antônio Palocci e assim ressuscita a Operação Castelo de Areia, deflagrada em 2009 e apurava os crimes de fraude à licitação, corrupção, lavagem de dinheiro, dentre outros, praticados por representantes da mesma empreiteira e agentes políticos, para obtenção de contratos públicos. 

Segundo a PF, o inquérito policial tem origem em informações obtidas a partir da colaboração premiada de um do investigado e apura o pagamento de propina por parte de uma empreiteira a agentes públicos, com o fim de suspender e anular a Operação Castelo de Areia.

A Operação Castelo de Areia foi deflagrada em 2009 e apurava os crimes de fraude à licitação, corrupção, lavagem de dinheiro, dentre outros, praticados por representantes da mesma empreiteira e agentes políticos, para obtenção de contratos públicos.

A ação penal decorrente desta operação foi suspensa por um Habeas Corpus, concedido em 2010 pelo ex-Presidente do STJ, no Plantão Judiciário. Em 2011, a Castelo de Areia foi anulada pelo mesmo tribunal.

Fatos investigados na Operação Castelo de Areia vieram à tona com a deflagração da Operação Lava Jato, como as irregularidades na construção da refinaria Abreu e Lima em Pernambuco.

Veja mais notícias sobre Geral.