Sidebar Menu

"Feriado prolongado não é para lazer", afirma secretário estadual de saúde

Medida foi adotada para conter disseminação do vírus
Secretário enfatizou que é para todos ficarem em casa no super feriado (Foto: Governo do Estado de São Paulo

Em coletiva esta tarde (19) no Palácio dos Bandeirantes, o secretário de Saúde do Estado, José Henrique Germann, bem como o presidente do Instituto Butantan e chefe do Centro de Contingência do Coronavírus, Dimas Covas, foram unânimes em dizer que o mega feriado que vem aí a partir desta quarta-feira (20), não é para lazer, ou seja, não é para que as famílias planejem viagens e passeios, e sim para reforçar as medidas de isolamento.

Na capital, o prefeito Bruno Covas (PSDB) antecipou os feriados de Corpus Christi (11 de junho) e da Consciência Negra (20 de novembro), criando um feriadão que começa quarta (20) e só termina no domingo (24). O governador João Doria (PSDB), que não estava na coletiva de hoje, também enviou para a Assembleia Legislativa, projeto antecipando o feriado da Revolução Constitucionalista (9 de julho), para segunda-feira (25), totalizando 6 dias de feriado.

"Nesse feriado é importante que cada um faça a sua parte. É para fazer seu feriado em casa. Os efeitos nós vamos sentir duas semanas depois. Não é um feriado prolongado de lazer", enfatizou Germann.

Durante a coletiva, os membros do governo e também do Centro de Contingência relevaram dados importantes sobre o avanço da Covid-19 no estado. Segundo eles, embora os testes sejam importantíssimos para fotografia da epidemia e de São Paulo ser o estado que mais testa, só foram feitos até agora 75 mil testes. 

São Paulo já conta com 65.995 casos 71,4% das UTI's ocupadas na cidade. Na Grande São Paulo, o percentual de UTI's ocupadas salta para 88% . 

Segundo Maria Cristina Megid, Diretora Técnica do Centro de Vigilância Sanitária, mais de 11 mil estabelecimentos já sofreram fiscalizações, 614 só na capital. 

Questionado sobre a adoção da hidroxicloroquina, o secretário Germann enfatizou que há estoque do medicamento no estado, mas que a prescrição depende do médico. "O estado tem cloroquina em seus estoques, e o médico tem toda liberdade de fazer a prescrição. Vai depender dos resultados que ele está buscando", disse. 

De acordo com Dimas Covas, por enquanto, a epidemia está ganhando a guerra e que estes dias em casa serão de batalha intensa. 

O mega feriado é mais uma ofensiva do governo para aumentar os índices de isolamento, que precisam estar maiores do que 55% por algum tempo, para desafogar os leitos hospitalares em toda Grande São Paulo e evitar a decretação do lockdown, que é a medida mais restritiva de circulação e funcionamento de serviços e comércio. A medida já é estudada para capital e região metropolitana. Além disso, o governo estadual também se preocupa com um possível colapso do sistema de saúde. 

Veja mais notícias sobre Geral.

Veja também:

 
No Internet Connection