Sidebar Menu

Alexandre Frota pode migrar para PSDB

Líderes tucanos da região veem com bons olhos a filiação do deputado

Confirmada a expulsão do deputado federal Alexandre Frota do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, nos bastidores da política passaram a circular 'boatos' de uma possível filiação ao PSDB, partido do govenador do Estado de São Paulo, João Doria. Sem confirmação, tucanos da região afirmam que Frota é bem-vindo na legenda e tecem elogios a postura do parlamentar na Câmara dos deputados. Frota que é morador de Cotia pode, além de intensificar sua atuação na região, ganhar espaço na gestão do governado do Estado. 

O prefeito de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar, que permanece como coordenador regional do PSDB, diz que não vê problemas na filiação do deputado federal. "Ele tem tido uma boa conduta no Congresso Nacional. Ele tem trabalhado bem é um bom articulador. Não tenho oposição à filiação dele ao nosso partido. Acho que ele pode somar", garante.

Presidente do PSDB de Osasco, o ex-prefeito Silas Bortolosso, também afirma que vê com bons olhos a possível filiação de Frota ao partido. "Nosso partido está aberto e é bem democrático, então, acredito que se ele tem condições de somar ao nosso projeto será muito bem-vindo", diz acrescentando que não vê problema nas críticas feitas por Frota a presidente Bolsonaro. "Acho que as pessoas precisam colocar suas posições dentro do partido e ter uma liberdade para atuar e manifestar suas opiniões", completa.

Expulsão do PSL
O PSL decidiu, por unanimidade, nessa terça-feira, 13, expulsar o deputado Alexandre Frota (SP). A decisão foi tomada após reunião da sigla em Brasília e anunciada pelo presidente do PSL, Luciano Bivar. O pedido de expulsão, aprovado por nove votos, partiu da deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que declarou recentemente que a situação do parlamentar no partido era "insustentável". A expulsão não acarretará na perda do mandato de Frota, que poderá permanecer como deputado em outra sigla.
Nos últimos dias, Frota passou a criticar publicamente o governo e o presidente, e chegou a declarar que estava decepcionado com Bolsonaro e com a falta de articulação do presidente com os parlamentares. Ele ainda criticou a nomeação do deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos.
A gota d'água para a expulsão foi a abstenção na votação da PEC da reforma da previdência em segundo turno, contrariando a orientação do partido.

Veja mais notícias sobre PolíticaGeral.