Desigualdade salarial pode acabar em 20 anos, diz Ministro

Na faixa até 25 anos, salários se aproximaram

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, declarou na quinta-feira (9) que a diferença nos salários entre homens e mulheres não existirá em 20 anos. A afirmação veio na sequência das discussões sobre o Dia Internacional da Mulher e com protestos de movimentos feministas contra a Reforma da Previdência.


Segundo Meirelles, a remuneração média das mulheres com idade entre 20 e 25 anos é praticamente igual à dos homens. "Essa diferença está acabando", disse. "A tendência é que em 20 anos isso esteja igualado." Por outro lado, ele admitiu que a situação relacionada aos cargos de comando ainda apresentam um grande grau de desigualdade.


"Existe uma qualificação e presença maior de mulheres no mercado de trabalho. Nos escalões mais elevados, é um fenômeno gradual, por uma questão muito simples de qualificação, competência e resultado. As empresas estão cada vez mais pressionadas por resultado", alegou.


O ministro respondeu também sobre a reforma da previdência e afirmou que haverá uma transição de 20 anos para que a idade mínima das mulheres seja a mesma que dos homens e defendeu a ação. "A reforma da Previdência não é um objeto de decisão, é uma necessidade".


A evolução das contas públicas brasileiras, de acordo com ele, mostra que a Previdência brasileira é mais generosa que a de outros países.


O ministro disse ser falaciosa a afirmação de que haveria superávit na Previdência.