Sidebar Menu

Ainda não é necessário toque de recolher nas cidades de São Paulo, dia governador João Doria

Cobrança de impostos no Estado será tema da agenda com o presidente Bolsonaro

Segundo, a cobrança de impostos no Estado de São Paulo também será tema da agenda com o presidente Bolsonaro (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Em coletiva de imprensa terminada há pouco, o governador João Doria disse que não é necessário determinar toque de recolher nas cidades paulistas. Ao todo, o Estado de São Paulo contabiliza 745 casos confirmado e 30 mortes. 

Doria também disse que é impossível estender a quarentena com bloqueio total. "Entendemos que o bloqueio total neste momento não é aplicável. Nós não podemos ter um colapso no País. O colapso não afeta apenas as pessoas vítimas do coronavírus, afeta a vida de 210 milhões de brasileiros e de 46 milhões deste brasileiros aqui no Estado de São Paulo. Lembrando que São Paulo concentra quase 40% de toda a economia do País, se tivermos aqui uma situação de colapso no abastecimento, circulação de mercadorias e circulação de estradas paralisa o País e pode provocar vítimas. Eu não digo que não possamos chegar a este momento, mas até hoje, dia 24 de março, não houve esta necessidade", disse o governador.

João Doria também antecipou que amanhã (25), haverá um encontro com o presidente Jair Bolsonaro para discutir novas medidas relacionadas à pandemia do Covid-19.

Segundo, a cobrança de impostos no Estado de São Paulo também será tema da agenda com o presidente Bolsonaro.

A reunião não será transmitida ao vivo, mas após o encontro, disse Doria, haverá uma entrevista coletiva de imprensa para o anúncio das novas medidas.

Negativo para Covid-19

Questionado se ele não deveria estar de quarentena por ter tipo contato com o médico Davi Uip, responsável pelo grupo de trabalho contra o coronavírus no Estado, Doria disse que não há necessidade de quarentena por conta do contato com Uip."Fiz o exame, testei e fiz quarentena até sair o exame. Dormi aqui no Palácio".Davi Uip está em isolamento por ter sido infectado pelo vírus. Doria testou negativo para a infecção.

Quarentena no Estado

A quarentena entrou em vigor ontem (24) em todos os 645 municípios do Estado. Durante 15 dias, a medida impõe o fechamento do comércio, exceto os serviços essenciais de alimentação, abastecimento, saúde, bancos, limpeza e segurança.

Estabelecimentos que servem alimentos e bebidas em mesas ou balcões só poderão atender pedidos por telefone ou serviços de entrega. Só ficarão abertos estabelecimentos com atendimento presencial que prestam serviços considerados essenciais – a quarentena não afeta o funcionamento de indústrias.

Pelo decreto assinado pelo governador João Doria lista, no caso dos serviços de saúde, está liberado apenas o funcionamento de hospitais, clínicas – inclusive as odontológicas – e farmácias. No setor de alimentação, podem funcionar supermercados, hipermercados, açougues e padarias – que não poderão permitir o consumo no estabelecimento durante a quarentena.

No setor de abastecimento, poderão atuar normalmente transportadoras, armazéns, postos de gasolina, oficinas, transporte público, táxis, aplicativos de transporte, serviços de call center, pet shops e bancas de jornais.

Os demais setores que poderão oferecer serviços durante a quarentena são: empresas de segurança privada; empresas de limpeza, manutenção e zeladoria; bancos, lotéric

Veja mais notícias sobre CoronavírusGeral.

Veja também: