​Olímpiadas de Tóquio: Sete atletas da Seleção Brasileira de Vôlei Feminino são da região

Estreia da Seleção Feminina de Vôlei nas Olímpiadas de Tóquio está marcada para o próximo domingo (25), às 9h45, contra a Coréia do Sul
Tandara, Roberta, Camila Brait, Lorena Viezel, Karina Barbosa e Diana Duarte buscam o ouro olímpico (Divulgação/CBV)

Começa na próxima sexta-feira (23), os jogos olímpicos de Tóquio. Entre os esportes com maior chance de trazer medalha para o Brasil, o vôlei feminino se destaca. Entre as 11 atletas convocadas, sete fazem parte dos dois maiores clubes da região oeste da Grande São Paulo, o São Paulo Barueri e Osasco São Cristóvão.

A líbero Camila Brait, a levantadora Roberta, as centrais Bia e a oposta Tandara do Osasco São Cristóvão, e a central Lorena Viezel, ponta Karina Barbosa e central Diana Duarte, do São Paulo Barueri, farão parte da equipe brasileira. O time é comandado pelo técnico José Roberto Guimarães, que também treina o clube barueriense.

Além das quatro atletas do Osasco São Cristóvão Saúde e das três jogadoras do São Paulo Barueri, completam a lista da primeira convocação com as centrais Adenízia e Mayany, a libero Nyeme, e a levantadora Dani Lins, do Sesi Vôlei Bauru (SP), a ponteira Ana Cristina e a oposta Lorenne, do Sesc RJ Flamengo e a ponteira/oposta Rosamaria, que joga na Itália.

A estreia da Seleção Feminina de Vôlei nas Olímpiadas de Tóquio está marcada para o próximo domingo (25), às 9h45, contra a Coréia do Sul

A Comissão Técnica de Osasco agora compõem a do Quênia (João Pires/Fotojump)

Novo treinador do Quênia
O técnico do Osasco São Cristóvão, Luizomar de Moura, anunciou no dia 19 julho, que irá comandar a seleção feminina do Quênia nos jogos olímpicos deste ano. Ao seu lado, outros cinco funcionários do clube osasquense também auxiliarão o treinador na competição: o assistente técnico Jefferson Arosti, o preparador físico Marcelo Vitorino de Souza, o fisioterapeuta Thiago Menezes Lessa Moreira, o estatístico Leonard Lopes Barbosa e o gerente de marketing Beto Opice.

"Estar em Tóquio junto com os profissionais de Osasco é um grande prazer, pois são comprometidos em todos os sentidos. E a causa é muito maior do que realização de um sonho, que é disputar uma Olimpíada, é poder impactar com nosso trabalho a vidas de dezenas de atletas e profissionais que nos receberam tão bem", afirma Luizomar, que assumiu a seleção queniana dentro de um projeto de desenvolvimento do vôlei na região capitaneado pela Federação Internacional.

Brasil e Quênia estão na mesma chave na Olimpíada. O confronto em quadra entre os dois países está marcado para o dia 2 de agosto, às 9h45. 

Veja mais notícias sobre Esportes.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 21 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/