Dólar sobe para R$ 4,26 após declarações de Paulo Guedes nos Estados Unidos

Dólar turismo chegou a ser negociado perto de R$ 4,45, sem os impostos

A cotação do dólar (comercial) chegou na casa dos R$ 4,26 e já é vista com sinal de pessimismo pelo mercado após o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmar que, diante da redução da taxa básica de juros no país, o câmbio de equilíbrio tende a ir para um lugar mais alto. Já o dólar turismo chegou a ser negociado perto de R$ 4,45, sem os impostos. 

Trajetória do dólar neste mês de novembro. No dia 4, a moeda era cotada a R$ 4 (Editoria de Arte-Giro S/A

Dólar sobe de elevador e desce pela escada 

O economista Roberto Troster faz análise em vídeo para o Blog da Redação, do Giro S/A. Nova editoria do portal trará conteúdos mais analíticos e que podem estar conectados ou não com outras reportagens.

"Quando você tem um fiscal mais forte e um juro mais baixo, o câmbio de equilíbrio também ele é mais alto", afirmou Guedes em entrevista coletiva na embaixada brasileira em Washington, onde participa do Fórum de CEOs Brasil-EUA. 

Segundo o ministro, o Brasil tem uma moeda forte e que flutuações no câmbio não são motivo de preocupação. As afirmações de Guedes chegaram como uma "paulada" no Brasil. Investidores e analistas reagem às declarações.

Em sua última reunião, no dia 30 de outubro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), divulgou redução da taxa básica de juros, a Selic, para 5% ao ano, com corte de 0,5 ponto percentual. O comitê sinalizou que deve voltar a cortar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual em dezembro. "O Copom debateu, então, a conveniência de oferecer alguma perspectiva sobre possíveis cenários para a política monetária. Decidiu comunicar sua avaliação de que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional, de igual magnitude, no grau de estímulo monetário", afirmou a ata.

Sobre novos ajustes, a partir de 2020, "os membros do Copom decidiram reforçar que o atual estágio do ciclo econômico recomenda cautela em eventuais novos ajustes no grau de estímulo. "O Copom julgou ser fundamental reiterar que a comunicação dessa avaliação não restringe suas próximas decisões e enfatizar que os próximos passos da política monetária continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação", finalizou.

Dólar comercial e dólar turismo 

O dólar comercial se refere à simples citação da moeda norte-americana quando os meios de comunicação publicam notícias: ou seja, quando o Giro S/A diz que o dólar sofre elevação, isso quer dizer que o dólar comercial está mais caro em relação ao Real. Já o dólar turismo é aquele que é comprado em casas de câmbio quando uma pessoa vai fazer uma viagem internacional. Este dólar é sempre mais caro que o comercial e também é usado nas conversões de valores de compras de pacotes para o exterior. 

Veja mais notícias sobre EconomiaVídeos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 03 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/