​Morre o compositor italiano Ennio Morricone, aos 91 anos

Artista compôs mais de 500 trilhas sonoras para filmes e programa de TV
Ennio Morricone durante sessão de fotos em dezembro de 2013. (Foto: AP Foto/Michael Sohn, arquivo)

Morreu nessa segunda-feira (6), o maestro e compositor de trilhas sonoras do cinema Ennio Morricone, aos 91 anos, em Roma na Itália. 

O compositor estava internado há 10 dias em uma clínica na capital italiana, devido a uma queda onde fraturou o fêmur.

Um comunicado divulgado por Giorgio Assuma, advogado e amigo do artista, informou que o maestro italiano morreu "nas primeiras horas de 6 de julho no conforto de sua família".

Segundo o advogado, Ennio escreveu seu próprio obituário. No texto, ele se despede seu sua esposa, Maria Travia, de seus filhos, netos, amigos e do cineasta Giuseppe Tornatore.

O artista pediu que seu funeral fosse organizado de forma privada, a fim de respeitar "o sentimento de humildade que sempre inspirou os demais", disse Assuma.

Morricone deixa a esposa, Maria, e quatro filhos, Andrea, Giovanni, Marco e Alessandra.

Perfil

Ennio Morricone nasceu em 10 de novembro de 1928, em Roma. Seu começo na música foi precoce, aos seis anos ele já compunha.

Ele fez sua estreia no cinema aos 33 anos, em 1961, com a música tema do filme "O Fascista", de Luciano Saísse.

Morricone compôs diversas trilhas sonoras para filmes, programas de televisão, canções populares e orquestras.

Ele sempre desejou renovar a música italiana, que a considerava medíocre e sentimental.

Sua amizade com o cineasta italiano Sergio Leone lhe rendeu fama mundial. Ele se dedicou muito as canções de filmes "spaghetti westerns", que consagraram Clint Eastwood na década de 1960.

Além de Leone e Quentin Tarantino, Ennio também trabalhou com nomes como Roman Polanski, Terrence Malick e Bernardo Bertolucci.

Entre as mais de 500 trilhas sonoras que compôs, seus principais trabalhos são "Três Homens em Conflito", "A Missão", "Era uma Vez na América", "Os intocáveis", "Cinema Paradiso", entre outros.

Ao longo da carreira, Ennio ganhou dois prêmios no Oscar e dezenas de outros prêmios, incluindo Globos de Ouro, Grammys e BAFTAs.

Em 2007, recebeu um Oscar honorário por sua carreira musical. Seu outro Oscar foi em 2016, pela trilha sonora do filme "Os Oito Odiados" de Tarantino.

Inicialmente, o maestro recusou o trabalho. Depois cedeu, exigindo que Tarantino lhe permitisse uma "ruptura total com o estilo dos filmes ocidentais".

Confira abaixo o obituário escrito pelo próprio artista. 

"Ennio Morricone está morto. Anuncio a todos os amigos que sempre estiveram próximos de mim e também aos que estão um pouco distantes e os saúdo com muito carinho.

Impossível nomear a todos. Mas uma lembrança especial vai para Peppuccio e Roberta, amigos fraternos muito presentes nos últimos anos de nossa vida. Há apenas uma razão que me leva a cumprimentar todos assim e a ter um funeral privado: não quero incomodá-los.

Saúdo calorosamente Inês, Laura, Sara, Enzo e Norbert por terem compartilhado grande parte da minha vida comigo e com minha família. Quero lembrar com carinho as minhas irmãs Adriana, Maria, Franca e seus entes queridos e que elas saibam o quanto eu as amava.

Uma saudação completa, intensa e profunda aos meus filhos Marco, Alessandra, Andrea, Giovanni, minha nora Monica e aos meus netos Francesca, Valentina, Francesco e Luca. Espero que eles entendam o quanto eu os amava.

Por último mas não menos importante (Maria). Renovo a você o extraordinário amor que nos uniu e que lamento abandonar. Para você, o adeus mais doloroso."


Veja mais notícias sobre Divirta-se.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 28 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/