Sidebar Menu

Crítica de cinema: John Wick 3

Longa traz uma sensação de videogame, com fases a serem batidas, sem parecer artificial

Parabellum, cujo significado é prepare-se para a guerra, coloca John Wick em luta desesperada pela própria vida em mais um ótimo longa de ação com cenas exageradas e brutais. O filme traz a combinação ideal para mais duas horas de diversão desenfreada.

Keanu Reeves domina a tela como o assassino com consciência e absurdamente resiliente. Mesmo com poucas falas, é fácil gostar do protagonista, ainda que não tenha assistido aos dois longas anteriores, o que vale muito fazer.

É impressionante a criatividade para as lutas, perseguições, tiroteios. Uma cena em especial, em Casablanca, fará os amantes dos games irem à loucura. Porém, a capacidade de parecer um jogo quando precisa, alternar momentos de construção do mundo e de personagem de forma fluída, fazem dessa franquia algo único.

Parabellum não tenta ser realista, mas ainda é estranho ver a pancadaria no meio das ruas e nenhum civil se dar conta e a polícia nunca aparecer.

Mas é particularmente interessante ver como tudo nesse mundo gira em torno de honra, lealdade e demonstração de força.

John Wick 3 - Parabellum mantém a qualidade da franquia, afinal são três filmes contando, efetivamente, a mesma história de forma linear. Impossível não ficar ansioso pelo quarto filme.

Confira a crítica completa no site: www.cineclick.com.br

Veja mais notícias sobre CinemaDivirta-se.

Veja também: