Sidebar Menu

Coringa é a estreia da semana

A versão final do vilão é das melhores: anárquico, caótico e completamente imprevisível.

A coragem de mexer com o Coringa já era louvável desde o início desse projeto. Tanto a ousadia de Todd Phillips em encarar um filme solo de vilão, ainda mais do possível maior vilão da cultura pop. Quanto o desafio de Joaquin Phoenix em assumir papel que ficou eternizado com HeathLedger. E o longa é uma porrada, de sair tremendo do cinema. Ele incomoda seja pela violência ou mensagens indiretas.

Coringa conta a origem do vilão do Batman. Arthur Fleck é um aspirante a comediante fracassado com condição mental que o faz rir em momentos inoportunos. Quando a sociedade falha com o ser humano - sua base familiar é uma tragédia - é possível salvar a pessoa? Para Arthur não! Essa trajetória é bem contada no longa.

A atuação de Phoenixé tão acima, que outros atores parecem apenas figurantes, nenhum outro personagem consegue ganhar luz no filme.

É uma aula de adaptação ao mostrar que pode respeitar o cerne do personagem e descaracterizar todo o entorno, sua origem, a relação com Batman.

Infelizmente, Phillips não parece convencido de que haverá continuação e já adiantou que esse Coringa não deve encontrar um Batman. Que pena! Eu gostaria muito de ver uma adaptação de A Piada Mortal com o Palhaço tentando mostrar que até a pessoa mais honrada, como o Comissário Gordon, pode quebrar se viver o pior dia da sua vida.

Confira a programação no site www.cineclick.com.br.

Veja mais notícias sobre CinemaDivirta-se.