Sidebar Menu

​"Será que estamos sendo penalizados por testar mais?", questiona prefeito de Carapicuíba

Carapicuíba teve aumento de 13% no número de casos de Covid, o que pode ter contribuído para volta à fase laranja
Prefeito do município afirma que há condições de permanecer na fase amarela (Foto: Arquivo / Giro S/A)

O prefeito de Carapicuíba, Marcos Neves (PSDB), acredita que a testagem em massa da população pode ter influenciado a reclassificação da sub-região Oeste para a fase laranja do Plano São Paulo. Em live, na noite de segunda-feira (10), Neves afirmou que já solicitou ao governo do estado de São Paulo para que a medida seja revista e o município volte o mais rápido possível para a fase amarela.

Há mais de 20 dias na fase amarela, a cidade teve a abertura de bares, restaurantes, salões de beleza e academias liberada. Retornado para a fase laranja, mais restritiva, essas atividades voltam a ficar suspensas.

Teste em massa começou em julho

Desde 16 de julho, Carapicuíba tem realizado testes em massa, sendo a única da região a fazer o procedimento. A triagem dos pacientes, que tiveram sintomas ou contato com casos confirmados e suspeitos, é feita por meio do aplicativo Dados do Bem. Na sequência, os mesmos são encaminhados para o Ginásio Ayrton Senna, na Cohab V, onde é aplicado o teste rápido e o teste RT-PCR.

Carapicuíba se encaixa na fase amarela

De acordo com o prefeito, ao todo, já foram realizados 30 mil testes. Segundo dados municipais, na sexta-feira (7), data em que o governo estadual anunciou a volta da região à fase laranja, Carapicuíba teve um aumento de 13% no número de casos confirmados de Covid-19. Já na semana anterior, de 26 de julho a 1º de agosto, houve queda de 18% nos registros de óbitos na cidade.

Além disso, Neves apontou que Carapicuíba tem 80% de respiradores vagos nos leitos de UTI e leitos clínicos, que foram contratados pela prefeitura no Hospital São Camilo, da Granja Viana. Na live, o prefeito também ressaltou o trabalho que tem sido feito desde o início da pandemia, como a criação do Centro de Enfrentamento do Coronavírus na Vila Dirce, o Hospital de Campanha na Policlínica, a fiscalização de aglomerações, as campanhas de conscientização de distanciamento social, a distribuição de mais de 100 mil máscaras e o uso obrigatório do item. Portanto, para Neves, a cidade tem capacidade de permanecer na fase amarela.

Balanço

Até segunda (10), Carapicuíba contabilizava 5.525 casos confirmados, sendo 4.915 curados, o que representa 89% de recuperados e 235 óbitos. "O registro de casos aumentou porque estamos testando mais, diminuindo assim a subnotificação", pontuou o prefeito.

Contestando o estado

Ainda na live, o prefeito afirmou que o motivo apontado pelo governo do estado para a volta da sub-região Oeste da Grande São Paulo para a fase laranja foi o aumento de 11% no número de mortes. Já Marcos Neves contesta a análise ao mostrar que Ribeirão Preto, por exemplo, que passou direto da fase vermelha para a amarela, teve 24% de aumento no índice. "A única questão em que Ribeirão está melhor do que Carapicuíba é no número de casos, ou seja, será que estamos sendo penalizados por ter testado mais pessoas?", questionou.

Mesmo não concordando com a decisão estadual, Carapicuíba publicou na segunda (10), o decreto número 5.026 alterando a cidade da fase amarela para a laranja do Plano São Paulo, o que inclui a suspensão das atividades presenciais de academias, bares, restaurantes, entre outros. O prefeito de Carapicuíba reforçou que já solicitou ao estado que reavalie a situação da cidade, para que o retorno à fase amarela aconteça o mais breve possível. 

Veja mais notícias sobre CoronavírusMetrópole.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection