Sidebar Menu

Prefeito de São Paulo não descarta rodízio e lockdown

Decisões devem ser anunciadas na sexta-feira
Prefeito disse que as medidas visam a diminuição do número de infectados e mortos pelo coronavírus (Foto: Prefeitura de SP)

Em entrevista ao canal GloboNews, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse nesta quarta-feira, 6, que a partir dos dados fornecidos pela Secretária da Saúde, ele e o governador do Estado, João Doria, vão decidir se estendem a quarentena, inclusive com medidas mais duras ou se vão flexibilizar e permitir o retorno de alguns tipos de comércio, entre outros. As decisões serão divulgadas na próxima sexta-feira, 8.

Na entrevista Covas foi questionado se existe a possibilidade de um novo rodízio. "Estudamos sim a adoção de um novo tipo de rodizio, ainda não sabemos se será só no horário de pico ou o dia todo, se será somente no centro expandido ou em toda a cidade, quais as placas que poderão circular em determinados dias, entre outras medidas", informou o prefeito.

De acordo com ele, as conversas estão sendo realizadas entre a CET e a Secretária de Transportes e a Secretária de Saúde.

Quando foi perguntado sobre um possível aumento no transporte público devido a adoção do rodízio o prefeito disse que tudo está sendo planejado para evitar aglomerações. "Hoje temos redução 68% no número de usuários no transporte público, se houver um aumento, podemos colocar mais ônibus nas ruas para diminuir aglomeração", explicou Covas.

Sobre a possibilidade do lockdown, que é uma expressão em inglês que traduzindo significa confinamento ou fechamento total, uma medida mais radical imposta por governos para que haja distanciamento social, o prefeito disse que nenhuma possibilidade está descartada. "Tudo vai depender dos números que a Secretaria de Saúde vai apresentar. Em cima dos dados vamos decidir", revelou. 

Veja mais notícias sobre Coronavírus.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/