Sidebar Menu

​Governo de SP confirma doações de R$ 96 milhões para produção de vacina

Estado passou de meio milhão de casos de Covid-19
Segundo o Governo Estadual, a meta é dobrar de 60 milhões para 130 milhões de vacinas produzidas (Foto: Divulgação - Governo do Estado de SP)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (29), que empresários do Estado doaram o valor de R$ 96 milhões para o Instituto Butantan para o desenvolvimento da vacina contra o coronavírus. 

O comunicado foi feito durante uma coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes. A pesquisa é coordenada pelo centro de estudos paulista em parceria com a empresa chinesa Sinovac Biotech.

"Empresários se reuniram para promover a busca de doações para o Butantan para agilizar a capacidade de duplicar a produção da vacina Coronavac em São Paulo", afirmou o governador. "A meta é dobrar de 60 milhões para 130 milhões, lembrando que são duas doses da vacina", completou Doria.

O governador também disse que o Governo Estadual foi procurado por países da América Latina para fornecer o medicamento.

"As doações são prova da generosidade do empresariado de São Paulo e daqueles que acreditam na esperança da vacina", afirmou Doria.

"Precisamos desse dinheiro da iniciativa privada para permitir contratações mais rápidas para dar agilidade ao processo", afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Em dados atualizados pelo Governo Estadual, o Estado de São Paulo tem nesta quarta-feira 514.197 casos confirmados da Covid-19 e 22.389 óbitos

Vacina promissora

Segundo Dimas Covas, a Coronavac tem um grande potencial de ser aplicada em breve na população brasileira.

"Eu tenho dito que essa é a vacina mais promissora e mais desenvolvida neste momento, em termos temporais. Não estou falando de tecnologia. É uma vacina que tem grande chance de ser introduzida rapidamente para vacinação em massa", explicou Covas.

A vacina está na fase três de seus estudos. O instituto já utiliza a tecnologia do vírus inativada para a produção externa.

"A Coronavac é feita em uma tecnologia tradicional, que já é usada para produção de outras vacinas. O Butantan mesmo tem duas vacinas que se utilizam dessa tecnologia. São vacinas que normalmente têm produzido boas respostas em termos de efetividade, são seguras e relativamente fáceis de serem produzidas", completa o diretor. 

Veja mais notícias sobre Coronavírus.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection