SP registra 507 doadores de órgãos no primeiro semestre

Alternativa. Opção por caminhada pode aumentar o dobro se crise persistir

Foto: USP Imagens

​Raquel Duarte

As cidades paulistas registraram o maior número de doadores de órgãos da história no primeiro semestre. Apenas este ano, entre janeiro e junho, 507 famílias perderam parentes próximos e autorizaram a doação.

O número é maior 26,9% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 391 famílias autorizaram a doação. Apesar do aumento, o Ministério da Saúde afirma que ainda há um o alto índice de recusas pelas famílias.

Com o aumento no número de doadores, foram realizados 4.821 transplantes no primeiro semestre deste ano no Estado de São Paulo, um novo recorde.

Ano passado, entre janeiro e junho, foram feitos 4.609 procedimentos. Se o ritmo for mantido até o fim do ano, São Paulo deve realizar 9.642 transplantes, enquanto 2016 fechou com 8.796.