Sidebar Menu

Região registra 400 focos de incêndio em áreas mata e floresta

No ano passado, até agosto, a região contabiliza 785 casos.

Nas últimas semanas o tema Amazônia, por contas das queimadas na maior floresta do planeta, ganhou contornos de norte a sul do Brasil, além de ser destaque no mundo.

O fogo em áreas verdes também merece atenção na região. Neste ano, o 18º Grupamento do Corpo de Bombeiros registrou até agosto 406 ocorrências relacionadas a focos de incêndio em áreas de mata e floresta nas cidades da região. Em 2018, até agosto, a região contabiliza 785 casos, e durante todo o ano um total de 936 casos.

O volume de queimadas em todo o País obrigou a Presidência da República a suspender por decreto, por 60 dias, a autorização para uso de fogo mesmo em queimadas autorizadas em todos os municípios brasileiros.

Nos meses de junho a outubro ocorre a maior incidência de focos de incêndio em áreas de mata e floresta. As causas do fogo podem ser desde uma ponta de cigarro aceso ou por iniciativa criminosa.

Um caso registrado pelo Giro S/A nesta semana ocorreu no Parque Viana, em Barueri, na quarta-feira (28). No local, o fogo tomou conta de uma grande área particular e chegou a ameaçar a segurança de casas próximas.

Nas cidades da região com área verde mais extensa, Itapevi registrou, de janeiro a agosto, 35 pontos de incêndio em área de vegetação. Santana de Parnaíba registrou neste ano 36 ocorrências e Cotia, também neste ano, constata um aumento de 8% nas denúncias de queimadas em comparação com 2018, sendo 16 casos na Granja Viana, 33 casos em Caucaia do Alto e outros 16 na região central da cidade.

Brigada própria

O Residencial Tamboré 11, em Santana de Parnaíba, possui uma brigada de incêndio há quatro anos. "Estamos preparados para combater princípios de incêndio. Acionamos o Corpo de Bombeiros", afirma o gestor de segurança Enio Wilton Cazzolli. A brigada tem um equipamento que possui uma espécie de "vap" acoplada e uma bomba que dá pressão à água.

A última queimada se deu a cerca de um mês e meio, na beira de estrada na própria avenida do residencial, a Honório
Álvares Penteado, sentido condomínio Itahyê. A região foi foco de constantes incêndios em um terreno próximo à reserva que fica ao lado do Tamboré 11. "Faz mais de um ano que não há incêndios nessa área, que está recebendo terraplanagem", ressalta Cazzolli.

No último domingo (25), moradores viram sinal de fumaça e fuligem próximo ao Mackenzie e acionaram os Bombeiros. "Tivemos curso de combate a incêndio voltado para moradores e seguranças. Eu participei", acrescenta a moradora Telma Peres Garcia Canas. 

Veja mais notícias sobre MetrópoleVídeos.

Veja também: