Sidebar Menu

Região intensifica ações contra a febre amarela

Os postos de saúde da região estão com filas enormes para vacinação contra a febre amarela.

Filas. População de desespera diante de ameaça da doença na região / Crédito: Daniel Sá/GiroS/A

Raquel Duarte
Da Redação

Os postos de saúde da região estão com filas enormes para vacinação contra a febre amarela. Na terça-feira (16), a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar todo o estado como área de risco da doença.  

As cidades da região intensificaram a vacinação embora não apresentem dados oficiais positivos para a doença. As administrações municipais afirmam que não há motivo para alarde, pois as cidades não estão incluídas no bolsão prioritário de risco.

O governo do estado anunciou que vai antecipar de 3 de fevereiro para 29 de janeiro o início da aplicação de doses fracionadas da vacina contra a febre amarela. A meta é imunizar 7 milhões de pessoas. 

Em Osasco, o secretário da Saúde, José Carlos Vido afirmou em coletiva de imprensa na segunda-feira (15) que a morte de um jovem por febre amarela em um hospital particular no município foi um caso importado de Mairiporã.

O município ampliou os pontos de vacinação. Até esta sexta-feira, 19, são entregues mil senhas em cada Policlínica, na zona Sul e na zona Norte, e 300 em cada uma das quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS) que serão polos de vacinação: Jardim Santa Maria, Portal D´Oeste, Jardim Três Montanhas e Vila da Justiça (UBS Lia Buarque Macedo Gasparine).

Santana de Parnaíba vacinou 97 mil pessoas desde outubrO. De acordo com a assessoria da Prefeitura, não há registro de casos de febre amarela e em epizootias (macacos doentes), mas a campanha continua por tempo indeterminado.

Já Barueri imunizou mais de 90 mil pessoas e prossegue com a campanha até que acabem as vacinas enviadas ao município, um total de 144 mil. As vacinas estão sendo priorizadas para população que reside nas proximidades de mata (cinturão verde) e que irá viajar a locais considerados de alto risco para a doença.

Veja mais notícias sobre Metrópole.