Sidebar Menu

Professor de Cotia distribui alimentos doados aos mais carentes da região

Desde o ano de 2006, Israel Favaro ajuda famílias em situação de vulnerabilidade. Hoje, recebe cerca de 70 pedidos diários de ajuda. Acompanhe a entrevista exclusiva
"A necessidade da pessoa vulnerável não espera", diz o professor Israel Favaro (Divulgação / Arquivo Pessoal IF)

O educador físico Israel Favaro mora há 34 anos em Cotia. Há alguns anos ele decidiu ajudar moradores de comunidades da cidade e também dos municípios vizinhos. O movimento ganhou força e nesta entrevista ele conta como tudo começou.

Giro S/A. Há quanto tempo você ajuda as famílias mais carentes?

Israel Favaro. Desde 2006 eu já ajudava, mas ajudava muito pouco. Eu tinha uma escola de futebol, e treinava alguns meninos, incentivando-os a correr atrás do sonho de ser jogador. Em 2015, comecei a frequentar a Igreja Comunidade Jesus Maria José, que ajuda os mais vulneráveis há mais de 20 anos, e, um dia, faltou uma pessoa para fazer a missão de rua, e eu me coloquei à disposição. Chegando no local, um morador em situação de rua me olhou e começou a falar coisas que ninguém sabia da minha vida..., ele não tinha como saber. Fiquei muito tocado com aquilo, e voltei no outro dia. Eu fui voltando, voltando e estou até hoje nessa missão. No começo, ia todas as sextas-feiras, independente da data, mesmo no Natal, no Ano Novo. Hoje, vou todos os dias praticamente.

Giro S/A. Sua missão é ofertar alimentos e tirá-los da rua?

Israel Favaro. Sim, eu ajudo as pessoas a saírem da rua. No ano passado eu tirei 39 das ruas de Cotia e região. Esse ano já foram 15. Eu passo meu aniversário com eles, também o Natal, o Ano Novo, e isso desde 2016. E assim vamos indo... uma família começa a falar para outras e em pouco tempo já estou ajudando outras famílias também.

Giro S/A. O que mudou com a pandemia?

Israel Favaro. Antes, eu recebia cerca de cinco pedidos de ajuda por semana. Quando a pandemia começou, já recebia 20 pedidos por dia. Então veio essa segunda onda e o número de pedidos aumentou para 60 ou 70 por dia.

Giro S/A. Como você faz para conseguir alimentos e distribuí-los?

Israel Favaro. Deus me deu a ideia de colocar um auto-falante na minha caminhonete e sair pedindo doação, caso contrário não ia ter doação para todo mundo. Só hoje (data da entrevista), eu já atendi 2.500 pessoas! Geralmente, passo em bairros de poder aquisitivo maior para tentar buscar mais doações e depois de dividido, vou para as comunidades que precisam. Divido tudo em sacolas, umas com arroz e feijão, outras com óleo, massa de tomate e macarrão, outras com açúcar café e sardinha e vou perguntando nas comunidades o que as mais precisam. O povo tem recebido muito bem, tanto para doar quanto para receber. Cada dia uma história diferente, um universo novo...

Giro S/A. Você é morador de Cotia? Você entrega as doações nos bairros de sua cidade e em outros locais?

Israel Favaro. Sim, moro há 34 anos em Cotia, no Jardim Empirio, e hoje as pessoas do bairro já me conhecem mais porque sempre passo com o carro com a caixa de som. Entrego as doações em Cotia, em Caucaia, na comunidade do Sapé, perto do Shopping da Raposo, em Carapicuíba, em comunidades de Jandira, Itapevi, Ibiúna, e até mesmo em São Paulo, no Butantã e Rio Pequeno.

Giro S/A. Você pretende abrir uma ONG?

Israel Favaro. Uma pessoa me viu numa reportagem da Globo (A Caminhonete da Esperança) e disse que iria me ajudar a abrir uma ONG, mas, de verdade, eu nunca pensei nisso, mesmo porque eu sempre fui um cara que estou ali na última esperança da pessoa necessitada. Os moradores em situação de rua, quando estão mal, querem sair dessa vida. Eles me ligam de madrugada. Tem ação às três, quatro horas da manhã. Eu sempre atendo, ajudo quem está sem coberta... e não curto muito esse lance de dificultar, de muita burocracia, de ficar indo atrás do governo para conseguir uma verba. Penso que até eu conseguir isso, o morador de rua que está viciado, já se afundou mais no crack; a família que estava precisando de arroz, já morreu de fome... A necessidade da pessoa vulnerável não espera.

Para ajudar as ações de Israel

WhatsApp: (11) 94514-5619
www.facebook.com/Israelfavaroo
https://www.instagram.com/israelfavaro

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/