Sidebar Menu

PM de Barueri é uma das sócias de empresa que matou homem no Carrefour

Empresa localizada na Lapa tem como sócia uma cabo da PM lotada no 5º Baep 
Seguranças da empresa agredindo o homem em Porto Alegre (Reprodução/Redes Sociais)

Uma cabo da Polícia Militar licenciada que era lotada no 5° Baep, responsável pelo policiamento de elite das cidades da região de Osasco, é uma das sócias da empresa que matou João Alberto Silveira Freitas, em Porto Alegre, RS.

De acordo com o quadro societário da empresa Vector,  Simone Aparecida Tognini é uma das sócias da empresa, contrariando o estatuto do funcionalismo paulista. 

Em nota a empresa lamentou o episódio brutal. “A Vector sensibiliza com os familiares da vítima e não tolera nenhum tipo de violência, especialmente aquelas decorrentes de intolerância e discriminação”, diz a nota. 

Procurado, o governo do estado por meio da SSP afirma que apura as irregularidades envolvendo policiais na empresa. “A Secretaria da Segurança Pública iniciou na tarde deste sábado (21) uma apuração rigorosa no quadro societário e de funcionários da empresa Vector Segurança Patrimonial para apurar infrações à Lei nº 10.261 (Estatuto do funcionalismo público do Estado de São Paulo) e à Lei Complementar nº 893 (Regulamento Disciplinar da Polícia Militar). Todos os casos que forem constatados terão a abertura imediata de procedimentos administrativos“.

Entenda o caso 

Na noite de ontem (19), véspera do Dia da Consciência Negra, celebrado hoje (20), um homem negro, de 40 anos de idade, foi espancado no supermercado Carrefour, em um bairro da zona norte de Porto Alegre. Os agressores, um segurança do local e um policial militar temporário fora de serviço (exerce apenas atividades administrativas e de guarda), foram presos em flagrante e podem ser enquadrados no crime de homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Tudo aconteceu quando a vítima, identificada como João Alberto Silveira Freitas, teria discutido com a caixa do estabelecimento. Ele foi conduzido pelo segurança da loja até o estacionamento onde começaram as agressões. Um vídeo que mostra a cena circula nas redes sociais. O segurança está detido no Palácio da Polícia de Porto Alegre. Já o policial foi encaminhado para um presídio da Brigada Militar (BM)

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection