PF apreende 77 kg de ouro na Castello Branco. Policial Militar de Carapicuíba está envolvido

Com apoio da da Polícia Militar Rodoviária, policiais abordaram dois veículos no km 74 da rodovia, sentido capital. Carga está avaliada em R$ 23 milhões
Os seis  homens envolvidos serão investigados pelos crimes de usurpação de bens da União e receptação dolosa pela PF (Divulgação/Polícia Federal)

Um soldado da Polícia Militar (PM) lotado no 33º Batalhão Metropolitano de Carapicuíba, foi detido pela Polícia Federal (PF) após ser flagrado transportando 77 quilos de ouro sem procedência na tarde de quarta-feira (4), em Sorocaba, SP.

O flagrante foi realizado por policiais militares do grupo Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) que interceptaram os dois carros em que os agentes estavam transportando o material precioso. O militar foi levado à PF juntamente com outros três militares, entre eles o tenente-coronel da Casa Militar, responsável pela segurança do governador de SP, Marcelo Tasso, e outros dois policiais além de dois cidadãos. O governador do estado de SP, Rodrigo Garcia (PSDB), determinou investigação do caso.

Segundo a PF, a corporação informou que monitorava um avião particular suspeito, modelo King Air turboélice, que pousou no Aeroporto Estadual de Sorocaba. Com apoio da da Polícia Militar Rodoviária, os policiais abordaram dois veículos no km 74 da rodovia Castello Branco, próximo ao pedágio de Itu, sentido capital. Nos veículos, as equipes encontraram três malas com barras de ouro, totalizando 77 quilos.

Os documentos apreendidos, a carga de metal precioso saiu do Mato Grosso e do Pará. Uma quarta mala com diversos documentos também foi apreendida. Por tratar-se de ouro, o valor da apreensão soma cerca de 23 milhões de reais. O avião também foi apreendido. Os seis homens envolvidos seraõ investigados pelos crimes de usurpação de bens da União e receptação dolosa pela PF.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que foi elaborado BO de averiguação de extração irregular de minério.
O oficial citado está afastado do trabalho desde dezembro. A corregedoria da Polícia Militar acompanha a investigação.

O oficial da PM se manifestou por meio de nota sobre o caso. "Um conhecido que tem uma Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários (DTVM) devidamente legal, me pediu a indicação de duas pessoas para fazer uma operação ontem, nesta oportunidade me convidou para conhecer como funcionava. Como não possuía compromissos, aceitei. Porém, a Polícia Federal realiza operações para verificação de minérios preciosos, esta é uma de suas incumbências legais e, na data de ontem, esse referido transporte foi alvo de fiscalização. Ninguém foi indiciado, e a todo momento os policiais federais ressaltavam que ninguém estava detido. Após os procedimentos acima, todos saímos da sede da PF em Sorocaba para os seus devidos destinos, não restando nenhuma consequência para nós. Apenas a empresa que fará as tratativas necessárias com a PF haja vista o processo de verificação do material", disse Tasso.

*colaborou Mariana Pereira 

Veja mais notícias sobre MetrópolePolícia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 10 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/