Sidebar Menu

Material escolar: Itens estão 8% mais caros

Foto: Edivaldo Santana/Giro S/A
A compra do material escolar requer pesquisa e paciência. De acordo com a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares, os itens este ano estão 8% mais caros que em 2018.
Mãe de três filhos, a publicitária Poliana Vianna Pierro, de Alphaville, levou o trio de 3, 8 e 11 anos à papelaria. "Elas escolhem as capas de caderno, o resto a gente opta pelo melhor preço. Não dá pra deixar sem regras porque só em canetas coloridas há infinidade de tipos."
Também de Alphaville, a fisioterapeuta Fernanda Camara, mãe de adolescentes de 15 e 16 anos, não pesquisou porque precisava de pouca coisa. "Quando ficam mais velhos a lista de papelaria diminui e a de livraria aumenta", diz. "Fazemos na escola um esquema de troca de livros", conta.
Bruna Neudine Domene, publicitária, tem uma filha de 11 anos, que estuda em Alphaville. "Comprei nesta loja porque tem como diferencial o atendimento personalizado. Conta muito a praticidade nessas horas", avalia.

Variedade e ação para clientes
Das papelarias da região, uma das mais procuradas é a Lepok, em Alphaville, que se destaca pelo atendimento, estacionamento com manobrista e grande variedade de produtos. Se os pais precisarem, é possível solicitar orçamentos por e-mail, e a papelaria possui parceria com várias escolas, com descontos.
Já a Kalunga, a cada 1 kg de folhas de caderno usadas, pesadas na loja sem espiral e capa, dá R$ 1,50 de desconto na compra do pacote de 100 folhas da Chamequinho ou em cadernos Spiral (limite de 50 folhas por CPF).

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também: