Sidebar Menu

Homem mata mulher com ao menos 13 facadas em Osasco

Ao menos oito mulheres foram mortas por namorados ou maridos na região

Um homem matou a companheira, na noite desta terça-feira (17), com ao menos 13 facadas no jardim Baronesa, em Osasco. 

As informações iniciais apontam que o homem e a  jovem Daiane Leite, de 27 anos, tiveram uma discussão e ele desferiu ao menos 13 facadas nela que morreu no local. 

A ação rápida dos policiais da 2ª Cia do 42º Batalhão Metropolitano prenderam em flagrante o criminoso.  

O caso foi registrado no 10° DP como feminicídio. O corpo da vítima está no IML de Osasco onde familiares realizam os trâmites para velório e sepultamento.

Um levantamento da reportagem aponta que até o final de novembro deste ano, ao menos oito mulheres foram mortas por namorados ou maridos, o considerado feminicídio, até novembro. O caso mais recente ocorreu em Osasco, na semana passada, quando um homem de 21 anos matou sua companheira de 19 anos. Em Jandira uma mulher está desaparecida desde o começo do mês após visitar um homem e sumir.

Para tentar diminuir esse drama, as cidades da região adotam políticas públicas para enfrentar a violência contra a mulher. As dez cidades da região, por meio do Cioeste, dispõem de uma Casa Abrigo para acolher vítimas e filhos. Osasco conta com um Centro de Referência. Barueri tem a Ronda Guardiã Maria da Penha da GCM.

A delegada, especialista em violência contra a mulher, Raquel Kobashi Gallinati, defende ainda a realização de campanhas intensas de conscientização sobre o tema, para atacar a raiz do problema, que é o machismo. "É preciso também pensar a violência doméstica como uma ampla questão social. Não basta apenas dar atendimento policial, é preciso oferecer orientação psicológica, jurídica, social e, muitas vezes, ajudar a vítima ser independente. Como problema multifatorial, o combate tem que ser multifatorial também", defende a delegada. 

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também: