Sidebar Menu

​Governo de SP anuncia mudanças no currículo do ensino médio

Alterações valerão para escolas públicas e particulares
As normas serão implementadas de forma gradual a partir de 2021 (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (3) que o currículo do ensino médio paulista passará por mudanças a partir de 2021. O comunicado foi feito na 105º coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, neste período de pandemia do coronavírus. 

O Estado é o primeiro do País a elaborar uma mudança na grade curricular determinada pela lei do novo ensino médio, que foi sancionada pelo Governo Temer em 2013. A alteração começará pela primeira série e seguirá de forma contínua: em 2022, para a segunda série, e em 2023 para a terceira série.

Segundo Doria, serão 12 opções de cursos e caberá ao aluno escolher as disciplinas que ele mesmo se identifica e deseja se aprofundar.

"O objetivo é criar uma escola que dialogue com a realidade atual da juventude, que se adapte às necessidades dos estudantes e os prepare para viver em sociedade e enfrentar os desafios de um mercado de trabalho dinâmico", disse o governador.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, a nova proposta visa atrair os estudantes às escolas e evitar uma maior evasão escolar no período de pós-pandemia do coronavírus.

O documento foi assinado pelo secretário da Educação, Rossieli Soares, durante a coletiva. Ele disse que a reforma do Ensino Médio era uma vontade dos estudantes e também dos professores.

Segundo Soares, neste período de escolas fechadas, foram realizados mais de seis mil seminários com mais de 70 mil profissionais da área da educação para construir o novo documento, que teve como base uma consulta pública com mais de 100 mil educadores e alunos.

O novo currículo paulista segue a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio e valerá para escolas públicas e particulares do Estado. Ainda, segundo o secretário, todos os componentes curriculares estão mantidos na nova proposta.

Entre as principais mudanças apresentadas, os alunos poderão escolher duas disciplinas entre as áreas de linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas através dos Itinerários Formativos. No total, serão 1.800 horas de educação básica + 1.350 horas de itinerários.

Na próxima sexta-feira (7), Rossieli Soares irá apresentar em uma coletiva de imprensa o novo calendário de aulas.

Veja mais notícias sobre CoronavírusMetrópole.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection