Sidebar Menu

Empresário de Alphaville agride mulher, desacata PM e pede ajuda para prefeito e ouvidor

O homem terminou preso pelos policiais militares 

O empresário e morador de Alphaville, Ivan Storel, de 49 anos, aparentemente embriagado, foi preso, na tarde desta sexta-feira (29), no Condomínio Alphaville 5, em Santana de Parnaíba, após agredir verbalmente e ameaçar a esposa. Quando os policiais militares chegaram no local para atender o chamado foram desacatados e ameaçados pelo homem.

Nas imagens obtidas pela reportagem é possível ver o suspeito supostamente falando ao celular aos berros. Segundo ele, a pessoa na linha era o Secretário de Relações Institucionais de Barueri, Marinho Trimboli Jr, a quem o homem pedia ajuda além de citar o prefeito Rubens Furlan e outras autoridades.

"Tem um m (palavrão ofendendo os militares) querendo invadir minha casa, querendo me levar preso, por favor vem pra cá agora que você é secretário de segurança vem pra cá e me ajuda (palavrões e ofensas aos militares), por favor Marinho, vem aqui e me ajuda", dispara o indiciado.

O policial militar tenta se aproximar do homem que está exaltado, mas é ofendido por diversas vezes e ameaçando. "(Ofensas) você é um (m) de um PM que ganha mil reais por mês, eu ganho R$ 300 mil por mês eu quero que você se f seu lixo", proferiu ataques aos PMs. 

"Marinho vem pra cá agora, traz o secretário de segurança, o secretário que tiver que trazer. Traz o (Rubens) Furlan a (palavrão)", conclama o agressor.

Segundo a Polícia Militar, os policiais foram solicitados via Copom para atendimento de ocorrência de cidadão embriagado e agressivo na residência além de ter agredido verbalmente a mulher.

O empresário resistiu à abordagem e proferiu várias palavras de baixo calão contra os policiais. A PM teve que fazer uso moderado da força para contê-lo.

"Você não me conhece. Você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville, mano", ressalta Storel aos policiais. 

O caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Santana de Parnaíba como violência doméstica (Lei Maria da Penha), desacato e resistência. Porém foi liberado após assinar um termo circunstanciado. 

Procurada a Prefeitura de Barueri diz que repudia a atitude do homem. “A Prefeitura esclarece que não compactua com qualquer ato de desrespeito ou de violência e desautoriza o uso indevido de seu nome, bem como o nome de seus servidores, em atitudes intimidatórias, já que o homem, como mostram as imagens, pede ao telefone auxílio de um secretário de Barueri, conhecido em toda a região por seu trabalho à frente da Secretaria de Relações Institucionais“, diz em nota.



Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/

No Internet Connection