Em coletiva, governo de SP destaca importância da segunda dose da vacina contra covid-19

Atualmente, ao menos 642.000 pessoas precisam completar esquema vacinal em todo estado de São Paulo para efetividade total do imunizante
Anúncio foi feito por equipe do governo de SP em coletiva no Palácio dos Bandeirantes (Divulgação / Governo do estado de São Paulo)

Em coletiva realizada na quarta-feira (21), o vice-governador do estado de São Paulo, Rodrigo Garcia (Democratas), destacou quatro assuntos importantes: a queda dos números de casos, internações e mortes em patamares menores pela primeira vez em sete meses; a constatação de que 288 cidades do estado não apresentaram óbitos por covid-19 no período de uma semana (da região, Araçariguama, Cajamar e Pirapora do Bom Jesus estão na lista); a liberação da segunda dose para gestantes e puérperas com a vacina da Pfizer a partir desta sexta (23); e a liberação da primeira parcela do programa social Bolsa do Povo para vale gás e acolhe SP, que beneficiará 120 mil pessoas em vulnerabilidade.

Um dos destaques foi a informação de que 642.000 pessoas ainda não voltaram para tomar a segunda dose da vacina, o que garantirá a maior proteção contra a covid-19, inclusive pelas novas variantes. De acordo com o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, são ao todo nove casos autóctones (adquiridas no local, sem contato com pessoas que viajaram) registrados no estado e um caso importado (adquirido na Índia) e que nem o estado nem as pessoas devem baixar sua guarda. 

A desinformação, as fakes news propagadas pelo movimento anti-vacinas e o medo de reações adversas foram apontadas como as principais vilãs para o alto número de faltosos. Outro destaque foi a divulgação do calendário vacinal para a segunda dose da vacina em gestantes e puérperas que tomaram a primeira dose Astrazeneca. 

A partir desta sexta-feira, 23 de julho, esse grupo de pessoas poderá voltar ao posto de saúde, seguindo obviamente a data correta para segunda dose, para tomar a dose da Pfizer. A mistura de vacinas ainda está em estudos, porém, já foi avaliado que o procedimento é seguro e protege essas mulheres da infecção por covid-19.

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 21 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/