Sidebar Menu

Doação de sangue: 16 pessoas em cada mil brasileiros são doadores

Até setembro de 2019, 2,4 milhões de bolsas de sangue foram coletadas no País.

No último dia 25, segunda-feira, foi comemorado o Dia Nacional do Doador de Sangue. No Brasil em torno de 3,3 milhões de pessoas são doadoras. Isso representa que 16, a cada mil pessoas, doam sangue com frequência no País. A cada bolsa de sangue doada, quatro vidas podem ser salvas.

Apesar do percentual de doadores de sangue de 1,6% da população brasileira estar dentro da recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), de que pelo menos 1% da população seja doadora, o Ministério da Saúde trabalha para aumentar o índice de doadores regulares, mantendo os estoques de sangue em níveis seguros.

"Eu me sinto bem doando; sabendo que com esse pequeno ato estou ajudando muitas pessoas. Acho que faltam campanhas mais efetivas que estimulem a doação", afirma a jornalista Fabiana Maris de Barros Holtz.

Até setembro de 2019, 2,4 milhões de bolsas de sangue foram coletadas no País. Levando em consideração que cada bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas, o quantitativo doado poderia salvar quase 10 milhões de pessoas. A quantidade de bolsas de sangue coletadas no mesmo período do ano passado foi igual. O Sudeste lidera o número de coletas de janeiro a setembro de 2019, com 1 milhão de bolsas de sangue.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), 42,9% das doações feitas em 2017 representaram a primeira vez, 42% de repetição e 15% esporádicas. Nas doações, os tipos de sangue que prevalecem são os do tipo O+ e A+, representando 43% e 30,7%, respectivamente, em 2017.

"É importante que a população se conscientize sobre a doação de sangue e se torne um doador regular para que os estoques tenham sempre uma margem positiva de bolsas coletadas e nunca falte para quem precisa. O processo é rápido e seguro para o doador e pode salvar milhares de vidas. Conheça, converse com quem é doador e procure um hemocentro mais próximo. Seu ato pode mudar uma vida", afirma o coordenador geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, Rodolfo Duarte Firmino.

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também: