Sidebar Menu

​DENÚNCIA: Moradora de Santana de Parnaíba alega negligência durante atendimento na UBS Animal

"Eles querem transformar a vítima em culpado", diz Renata Alves, dona da vira-lata caramelo Suzi, que sofreu um acidente gravíssimo na terça (8)

Nos últimos dias, a família Alves tem vivido uma situação dramática em Santana de Parnaíba. Moradores do bairro Recanto do Ipê, zona rural do município, na manhã de terça-feira (8), uma das mascotes da residência, a vira-lata caramelo Suzi, de quatro anos de idade, sofreu um acidente gravíssimo, relatado pela dona do animal na noite de ontem por meio de uma live no Facebook


No vídeo, a fotógrafa Renata Alves se emociona ao contar os detalhes do episódio. "Um vizinho tem um carro velho estacionado na rua, que fazia tempo que estávamos pedindo para ele dar um fim nesse automóvel, porque tem muita criança na rua. Ele cortou o carro e ficou muitas pontas. Minha cachorra estava brincando com nosso outro cão e, ao passar por esse carro, tinha uma ponta de lata que abriu a barriga dela de ponta a ponta. Na hora eu não vi, só observei meu filho entrando com ela, tampei a cabeça e comecei a chorar". O pesadelo só estava começando.


No atendimento na UBS Animal, Suzi foi anestesiada. Os veterinários fizeram alguns pontos em seu abdômen e a enfaixaram (Lucas Alves/Arquivo Pessoal) 

Ao Giro S/A, a fotógrafa relatou que, imediatamente, seu marido, o eletricista Robson, juntamente com seus filhos, o fotógrafo Lucas e Vitória, levaram Suzi até a unidade básica de saúde (UBS) destinada a atender gratuitamente cães e gatos no município, localizada no Jardim Benoá, região central da cidade.

"Chegando lá, minha irmã Vitória buscou o primeiro atendimento e eles simplesmente informaram que não iriam atender a ocorrência, pois ali não era emergência. Nós falamos que se a cachorra não fosse atendida ela poderia morrer", contou Lucas à reportagem. O jovem também revelou que por estar nervoso com a situação e o risco de vida do animal, ficou exaltou e ameaçou "destruir" o local.

"As funcionárias alegaram que houve desacato porque eu disse que se não tivesse atendido minha cachorra eu iria 'quebrar tudo'. Eu, como munícipe, fui em busca dos meus direitos. Entrei na sala dos enfermeiros e eles disseram que não poderiam fazer nada, porque precisam esperar protocolos da secretaria. Até que uma funcionária informou que se responsabilizaria e realizaria o atendimento", acrescenta o fotógrafo.

No atendimento, Suzi foi anestesiada. Os veterinários fizeram alguns pontos em seu abdômen e a enfaixaram. Os funcionários da UBS Animal de Santana de Parnaíba informaram que o animal deveria ser transferido para outro hospital. Lucas viu que na UBS havia três ambulâncias estacionadas e pediu auxílio na remoção. Entretanto, os condutores informaram que não poderiam fazer a transferência.

Revoltados com a situação e o descaso no atendimento, principalmente por ser um momento de extrema fragilidade, a família levou o animal para o hospital VetCare, em Barueri. "O veterinário da clínica afirmou que o tratamento foi muito mal feito pela UBS Animal de Santana de Parnaíba. Inclusive se prontificou em incluir essa informação no laudo médico. Somente a forma como ele observou que a nossa cachorra foi tratada e o seu estado ao chegar na clínica, ficou evidente o total descaso e negligência", pondera Lucas.

Suzi segue internada e está em observação médica. Lucas informou à reportagem que, apesar da situação ser grave, o quadro de saúde da vira-lata caramelo segue estável e, nos próximos dias, passará por mais uma avaliação médica para identificar se haverá necessidade de mantê-la internada.

Suzi foi internada em um hospital veterinário em Barueri e está em observação médica (Lucas Alves/Arquivo Pessoal)

Caso foi parar na polícia
Ainda na UBS Animal, Lucas foi levado por agentes da guarda municipal para a Delegacia de Polícia da cidade, no Jardim São Luiz. Além de prestar depoimento, relatou à reportagem que a prefeitura de Santana de Parnaíba abriu um boletim de ocorrência por desacato e permaneceu na unidade policial até às 13h40.

Segundo Renata, um advogado da Prefeitura chegou a ameaçar seu filho, alegando que moveria uma ação por abandono. "Ele disse que iria processar o Lucas por abandono, porque a Suzi estava na rua tomando um sol. A minha rua é sem saída, tem área verde e todos conhecem ela. Eles querem transformar a vítima em culpado", disse indignada.

A redação do Giro S/A procurou a Prefeitura de Santana de Parnaíba para esclarecer os fatos, no entanto, até o fim do fechamento desta reportagem, não obteve o retorno por parte de algum porta-voz da administração municipal.

"O que mais me revolta é que eles querem dar a entender como se nós estivéssemos errados em buscar atendimento médico veterinário na UBS Animal", desabafa Lucas. A família Alves afirmou que não pretende processar a Prefeitura de Santana de Parnaíba, mas que busca Justiça para melhorar o atendimento do local. Renata contou que já viu em diversas publicações nas redes sociais sobre outros casos semelhantes ao seu, onde a UBS Animal teria negado atendimento. Inclusive há relatos de animais que vieram a óbito.

"Esperamos que a Suzi fique bem e que os profissionais da UBS Animal de Santana de Parnaíba desempenhem seu trabalho com mais consciência, lembrando-se de seu juramento profissional e de que estão tratando de seres vivos", ressalta Renata. "Que esse tipo de negligência não ocorra mais! Caso eles não tenham o suporte necessário para atender a população, que a clínica seja fechada. Santana de Parnaíba é uma cidade com tanto dinheiro, eles poderiam investir muito mais na qualidade de vida dos animais, que hoje são praticamente um ente querido da família", finaliza. 

*Foto de capa: Divulgação/Marcio Koch/Secom Santana de Parnaíba.

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também:

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/