Cidades da região realizam ações para atender a população em situação de rua

Em Itapevi e Osasco, por exemplo, as prefeituras firmaram parceria com rede de hotéis para oferecer acomodação em dias de frio intenso
De acordo com o Ipea, mais de 222 mil brasileiros vivem em nas ruas (José Cruz/Agência Brasil) 

A chegada do inverno e com a acentuada diminuição nas temperaturas nos últimos dias, tem tornado a vida das pessoas em situação de rua ainda mais desafiadora. De acordo com dados divulgados  pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em janeiro deste ano, 222 mil brasileiros se encontram nessa situação.

Para ajudar essas pessoas, as cidades da região oeste da grande São Paulo que integram o consórcio Cioeste têm realizado programas para acolher e abrigar esses indivíduos. Todos os atendimentos são feitos por meio dos Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), órgão que assegura a recepção especializada com apoio, orientação e acompanhamento a famílias com um ou mais de seus membros em situação de rua.

Em Cajamar, a cidade montou um alojamento provisório no ginásio de esportes, no bairro Jordanéisa. Já em Cotia, a Prefeitura oferece uma rede de atendimento e proteção às pessoas em situação de vulnerabilidade social. Ao Giro S/A, a Prefeitura de Barueri explicou que na Casa de Passagem são acolhidas, em média, 27 pessoas por dia, totalizando 827 ao mês.

Confira abaixo mais sobre ações que essas cidades vêm realizando para ajudar esse público. Até o fechamento desta matéria, os municípios de Araçariguama, Carapicuíba, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista não responderam à reportagem com os dados solicitados.

Cotia possui um canal no Whatsapp para localizar pessoas em situação de rua (Alexandre Rezende/Prefeitura de Cotia)

Barueri
Na cidade, pessoas pessoas em situação de rua são acolhidas na Casa de Passagem - em média, 27 pessoas por dia, totalizando 827 ao mês. Já na Casa São Francisco de Assis (Caritás), são acolhidas 69 pessoas por dia, totalizando 2.139 ao mês de maior. Ambos os espaços têm gestão feita pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.

Ao mês, a cidade realiza cerca de 130 atendimentos por meio de abordagens. Enquanto na tenda montada na Cáritas são atendidas cerca de dez pessoas por dia.

Neste período de pandemia, o município intensificou as abordagens em parceira com a Secretaria de Saúde. Uma equipe do Fundo Social de Solidariedade faz abordagens no período da noite. Foram confeccionados pelo Núcleo de Moda 100 sacos de dormir térmicos e impermeáveis que estão sendo distribuídos.

Cajamar
Por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, foi instalado um alojamento provisório no ginásio de Esportes, em Jordanésia. Os acolhimentos são realizados por meio do Creas.O projeto também conta com uma equipe específica formada por coordenador, assistente social, auxiliar administrativo, cuidadores, cozinheira e auxiliar de serviços gerais. O serviço funciona 24 horas por dia e tem com o apoio da Casa de Passagem Hecáli.

No local, são oferecidos serviços de acolhimento, higienização, alimentação (café da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanche da noite) e pernoite. Além disso, a administração municipal disponibiliza atividades voltadas a reaproximação com a família e a ressocialização do usuário do Serviço, inclusive com sua inserção no mundo do trabalho, por meio da retirada de documentos pessoais, palestras, atividades socioeducativas, atendimentos de saúde, entre outros.

De acordo com dados divulgados pelo prefeito Danilo Joan (PSD) em suas redes sociais, no último dia 24 de junho, 132 pessoas foram atendidas pelo projeto num período de nove meses em 2020. Deste número, 84 pessoas que conseguiram se ressocializar, voltando ao trabalho ou reaproximando da família.

Cotia
Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Social mostram entre 4 de março e 15 de abril, 27 pessoas foram abordadas nas ruas de Cotia e encaminhadas para atendimento. Durante o período de baixas temperaturas, as equipes do órgão municipal intensificam o atendimento a pessoas em situação de rua. O plano de ação da Secretaria é executado por uma equipe multiprofissional para oferecer cuidado, atendimento e tentar realizar o restabelecimento do vínculo familiar para essas pessoas.

No espaço, os usuários podem tomar banho, trocar de roupa, se alimentar, cortar os cabelos, participar de atividades oferecidas no local. Além disso, o município possui um canal de atendimento via serviço de mensagem, por meio do aplicativo WhatsApp, para encontrar indivíduos que estejam nessa condição.

Na plataforma, a população pode auxiliar o poder público a localizar pessoas em situação de rua. O munícipe deve mandar mensagem contendo um 'olá' para o número (11)) 96300-7500 e a mensagem será respondida com um menu de opções de atendimento, basta responder com o número "9" e informar a localização da pessoa em situação de rua para que a equipe do Creas programa o atendimento.

Cotia também possui uma rede de proteção às pessoas em situação de vulnerabilidade social. Além do Centro Dia, onde a pessoa em situação de rua pode se alimentar, tomar banho, lavar os seus pertences e participar de oficinas e acessar serviços sociais. Há também o Acolhimento Institucional Projeto Restaurando Vidas pernoite,  e o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS).

Itapevi oferece pernoite em hotel a moradores em situação de rua (Divulgação/Prefeitura de Itapevi)

Itapevi
Desde o início de junho, a prefeitura oferece, no período noturno, vagas em hotel para os moradores de ruas. As oportunidades são disponibilizadas para os indivíduos abordados pela equipe de busca ativa, mantida pela secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania.

O ingresso para a estadia ocorre apenas por meio de encaminhamento do Centro Pop que faz o transporte dos acolhidos ao hotel. Pela manhã, todos retornam ao Centro para atendimento social. Como o serviço não dispõem de alimentação, as pessoas cadastradas no programa, recebem um cartão com QRCode que dá direito à gratuidade em todas as refeições no Bom Prato (café da manhã, almoço e jantar), de segunda-feira a domingo.


Jandira
Ao Giro S/A, o município de Jandira explicou que vem realizando a abordagem social à pessoas em situação de rua por meio do Creas. O órgão oferece apoio, orientação e acompanhamento a famílias que possuem um ou mais de seus membros em situação de rua.

Desde o dia 31 de maio, as abordagens se tornaram sistemáticas nas vias com maior concentração desta população. A cidade possuí convênio com o Centro Terapêutico de Recuperação Mundial, localizado na Rua Le Mans, nº 410, Jardim São João. O espaço atende somente homens que estejam em situação de rua e oferece o pernoite, banho, jantar e café da manhã. 

Outras refeições também estão sendo disponibilizados pelo Bom Prato e aqueles que não possuem recursos financeiros, estão se alimentando na organização não governamental (ONG) Associação Ressurreição Santa Maria (Aressama).

No Creas da cidade também ofertado atendimento psicossocial, emissão de documentos, a inserção no programa Bolsa Família, na plataforma do Portal do Trabalhador ou na Casa de Recuperação em Ibiúna, caso identifique a necessidade de tratamento, devido ao uso substância psicoativas (maconha, cocaína, Crack e álcool), e orientação referentes a problemas judiciais.

Além disso, a cidade também oferece capacitação profissional, e atividades de lazer e cultura, visando a reinserção social desta população em situação de rua.

Osasco
A cidade ampliou as vagas para acolhimento das pessoas em situação de rua com a contratação de vagas no Hotel Ibis. Das 20h às 24h, equipes da Secretaria de Assistência Social em parceria com a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros Voluntários realizam abordagens noturnas, quando a temperatura está inferior a 13°C.

Nessa ação, os agentes tentam convencer das pessoas que dormem nas ruas a pernoitar no Centro de Acolhida do Rochdale, explicando os riscos da exposição ao frio. Para quem não aceita o serviço, há a entrega de cobertores, agasalho, touca, meias e água. Aqueles que têm animal recebem ração e cobertor para o pet. Esses itens são doação da Cobasi.

Atualmente há 30 vagas contratadas no Hotel Ibis, 60 vagas no Centro de Acolhida Rochdale, 30 vagas no Centro de Acolhida Central e 50 vagas no Centro de Acolhida Feminino e Familiar.

"Sobre o número de pessoas atendidas, não há levantamento por ser volátil", explicou a administração municipal à reportagem.

Pirapora do Bom Jesus

Em nota ao Giro S/A, a prefeitura de Pirapora do Bom Jesus explicou que cidade não possui pessoas em situação de rua. 

Veja mais notícias sobre Metrópole.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 28 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.girosa.com.br/